Páginas

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

_______________________Para matar as saudades.

Ninguém avisou que você chegaria
Simplesmente surgiu diante dos meus olhos
E eu já reconheceria tua voz
Desde o primeiro momento

Ninguém avisou que você chegaria
Com esses olhos que mais se parecem com um abismo
Misterioso e profundo
Hipnotizante como a noite
E com o brilho profundo como uma lua cheia e clara

Ninguém ao menos me disse sobre ti
Descobri em tua boca uma queda d’água
Da mais pura água
E nela quis mergulhar

Em teus dentes me descobri
Em teus lábios permaneci
E em ti
O teu corpo
Permaneci.

5 comentários:

... disse...

Ui, vou tomar água!

Mariana Khalil disse...

Haha.
Refresque-se e volte depois para ler ainda mais.


Será que tu consegues interpretar da mais variadas formas possíveis?

;)

... disse...

pois já deicifrei dessa vida, de pouco um tudo...por sorte não saberia eu do indispensavel?



;)

Carmen Martinez disse...

água que batiza e água que afoga. A paixão é mesmo assim, até quando não é.

Frank disse...

Mari não sabia q teu amor por mim era tão imenso ...mais esse lance de queda de agua na boca num é um babaõ não??? =)